Páginas

sábado, 23 de julho de 2011

Temporal


Eu , você e mais um pouco mais de 6 bilhões de pessoas no mundo temos um mesmo ideal : viver feliz . Alguns procuram amor , outros não . Alguns procuram vida plena no trabalho , outros , com viajens , festas e amigos . Alguns se afogam em bebidas e drogas para fazer de um pequeno espaço de tempo , um segundo de alegria .
Minha mãe sempre me dizia, quando eu era pequena , para rezar e agradecer ao meu Deus por esse dia . Bobagem . Era o que eu pensava . Mas ai você vai crescendo , e se torna uma pessoa observadora . Você vê coisas que não via antes .
Voce não fecha seus olhos mais , não faz como fazem muitos . Você os abre e quer enxergar alem do seu mundinho , alem da sua nova paquera , alem da vida da namorada do seu ex em que você ainda é apaixonada e que pôs na cabeça que é sua inimiga . Você quer enxergar alem dos seus dois mil seguidores do twitter , alem dos seus 500 amigos no facebook .
Não sei se sou eu apenas que penso assim , mas agora eu poderia dizer : ajoelha e reza minha filha , agradece por ter seus pais vivos , por ter saúde , por ser quem você é , por estar mais um dia viva . E por mais que meu dia tenha sido o pior em séculos , eu consigo agora me consolar e ver que estou bem .
Chora primeiro, que limpa a alma, limpa o corpo, sai a raiva. Agora pensa , a vida toda pela frente , e mesmo que eu morra amanha , fui tudo bom em sua maioria , e eu faria de novo . Minha vida é sem grandes tragédias , sem doenças , sem uma real tristeza .
O amor não correspondido , o vazio no peito , a timidez , os foras recebidos e os dados que vem com arrependimento depois não são nada comparado a fome , a peste , a morte .
A minha dor passa , e passa rápido . Eu só precisava chorar embaixo do cobertor  e de um copo de chocolate quente  com rum . Um choque de realidade e pronto. Minha vida não é perfeita, mas estou em vantagem contra muita coisa ruim acontecendo ai no mundo com gente afora .
Esse pensamento dura pouco também , pois somos todos mesquinhos , e ate o meu próximo drama e tristeza surgir e eu começar a chorar de novo e a reclamar . Afinal a minha vida é a minha e de mais ninguém , e eu só sinto a minha dor na minha pele . Depois é só lembrar de pedir perdão ao seu Deus . Não importa qual seja ele .E ,  se o seu não existe , não tem problema , mostre a você mesmo , que você ainda esta em vantagem contra o mundo . E levanta de novo , e começa tudo mais uma vez , ate o fim no seu loops temporal .

Cristiana Drumond. 

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Uma bagunça incoerente.


A fumaça do chocolate quente na caneca sobe na minha frente, The Rolling Stones toca no rádio. O cachorro pressiona seu focinho na minha perna a procura de caricia. Pela janela escancarada se abre a enorme tempestade que cai forte lá fora, destrói os postes de luz e derruba as arvores. De repente me vejo na escuridão e no silencio. O cão chora . Coloco a caneca amarela na mesa e vou procurar uma vela e fósforos, o cão me segue.
Acendo a vela, e encarando a chama dançante, começo os devaneios. É tão fácil e natural, quando assusto não me dou mais por mim. De repente parece que estou vivendo em 1817: sem energia, tomando algo quente e só tenho livros pra ler. Sorrio . Mas faltavam as roupas, faltava à cavalaria, faltavam os príncipes e os imperadores.
Príncipe: lembra-me você. Mas então vêm as lembranças de você, e o arrependimento sobre pelas minhas veias e remexe as minhas entranhas. Arrependimento de ter se lembrado de você com a palavra príncipe. Você sabe que você é o sapo do todo. 
Balançando a cabeça para apagar os pensamentos e ser arrastada de volta a realidade. Mas hoje, hoje está exageradamente demais. Os jorros de pensamento, de irrealidade.
O que tem de errado comigo? Porque penso em tantas vidas, enxergo tantas vidas, imagino e as vivo na minha cabeça? A propósito, você e vários outros estão em muitas delas. Deveria, quem sabe, escrever um livro. Mas seriam muitos os livros, muitas as histórias, e a preguiça, a falta de tempo, esse desatino que não me deixa chegar muito longe com nenhum deles. É uma vergonha, um desapontamento total.
Estou me sentindo hoje como esse texto: bagunçado, sem coerência, viajando por vários lugares e palavras e pensamentos, e uma chuva que desce de uma vez.
Inunda La fora a chuva me inunda de pensamentos aqui dentro, não consigo nem organizar minha cabeça, como poderia eu organizar minha vida?
Flutuo no passado, idealizo o futuro e me esqueço do presente. Nem sequer sei se estou fazendo ou vivendo o que quero, ou se estou apenas onde à vida me deixou. Tento pegar as rédeas, mas é impossível, pelo menos por agora, tenho que deixar levar, já não quer mais lutar, já estou tão acomodada que prefiro ficar aqui na angustia e idealizar o futuro e a ler histórias. Sento-me, tomo um gole de chocolate e queimo a boca, acaricio o cão e observo ele se deitar sobre meus pés. Abro um novo livro , e começo uma nova história , para passar o tempo, deixar a vida passar . 

Cristiana Drumond.